2015 foi o ano em que Carly Rae Jepsen deixou de ser apenas a cantor de “Call Me Maybe”. Seu álbum EMOTION, um dos melhores álbuns do ano, está recheado de momentos ‘cante junto’ eufóricos sobre novas paixões, e batidas eletro-pop íntimas sobre o que acontece quando essas paixões se tornam outra coisa. “Ter um hit é um presente,” Jepsen contou a TIME durante um photoshoot que aparece na edição de “Person of the Year” (Pessoa do Ano), já nas bancas. “Também há aqueles momentos em que você se sente paralisada, como, ‘O que eu faço a seguir?’ Existem essas expectativas de, ‘Você pode entregar exatamente a mesma coisa novamente?’“.

Ela não o fez – e foi a melhor coisa. Ao invés de tentar replicar o seu sucesso passado, Jepsen se jogou primeiro na Broadway no papel de Cinderella e então se reuniu com as pessoas mais legais da música pop para criar algo habilidoso, mas um álbum vindo do coração inspirado no melhor do pop dos anos 80. “É assustador quando você está criando um álbum porque você está tentando filtrar todo o resto no lugar do que realmente importa pra você, do tipo, o que você sente como um álbum honesto, o que você sente é algo que você não diz,” Jepsen contou. “Eu não estava esperando que as pessoas reagissem tão positivamente a este álbum. O fato de terem… Significa o mundo pra mim.

O photoshoot para a edição da revista foi fotografado por Erik Madigan Heck e legendaremos o vídeo dos bastidores/entrevista em breve.

TIME Magazine: “People of the Year”

TIME_MAGAZINE_PEOPLE_OF_THE_YEAR_ARTICLE.jpg TIME_MAGAZINE_PEOPLE_OF_THE_YEAR_ARTICLE.jpg TIME_MAGAZINE_PEOPLE_OF_THE_YEAR_ARTICLE.jpg TIME_MAGAZINE_PEOPLE_OF_THE_YEAR_ARTICLE.jpg TIME_MAGAZINE_PEOPLE_OF_THE_YEAR_ARTICLE.jpg

Publicado por Douglas Vasquez
Deixe um comentário abaixo!